Páscoa

Pequenos negócios de chocolate buscam alternativas para driblar a perda de clientes na Páscoa

Com a crise provocada pela pandemia do coronavírus, empresas estão investindo principalmente nas mídias sociais para se aproximar do público

 Páscoa, principal período de vendas para a indústria do chocolate durante o ano, se transformou, em 2020, em um dos maiores desafios já encarados pelos setores. Com a crise provocada pela pandemia do novo coronavírus, os pequenos empresários, que esperavam pela data para ver suas vendas aumentarem, agora precisam criar soluções alternativas para driblar a perda de clientes.

A empresária Laura Costa Brito, da Doces da Lala, trabalha com doces há cinco anos e há três faz ovos e chocolates para a Páscoa. No início ela chegou a cogitar dispensar colaboradores, mas resolveu lidar com a situação com cautela. “Mudamos totalmente nossa rotina, estamos trabalhando com escalas para não ter aglomeração e nossa produção está sendo ainda mais criteriosa com a higienização de cada item e embalagem que vai para nossos clientes”, explicou.

Ovos da Doces da Lala, que estão sendo entregues no modo drive thru

Para manter as vendas, Laura precisou usar a criatividade. “Fizemos algumas promoções para atrair mais clientes e estamos oferecendo, também, kit festa para comemoração em poucas pessoas, apenas os familiares da casa, que tem feito sucesso, já que as pessoas estão evitando sair, mas também não querem passar um aniversário em branco”, garantiu Laura que, por fazer parte do grupo de risco, optou por não fazer entregas. “Estamos fazendo drive thru. Os clientes ligam, marcamos e entregamos os produtos para eles no carro”. As encomendas podem ser feitas pelo Instagram @docesdalalaes.

Já para Jessyca Guasti, que trabalha com bolos e sobremesas há 11 meses para complementar sua renda, este será um período desafiador. Para sua primeira Páscoa, ela havia se preparado para um volume maior de vendas, mas com os impactos negativos da pandemia, decidiu produzir apenas por encomendas.

Um dos ovos de Páscoa vendidos, sob encomenda pela Jessycake's

Para ela os empreendedores precisarão se reinventar, adquirir novos hábitos e diferenciais, que poderão ser utilizados após essa crise. Para lidar com esse momento e garantir as vendas da Jessycake’s, a empreendedora resolveu aumentar seu investimento em divulgação. “É um momento que as pessoas estão isoladas e carentes de afeto, vi a oportunidade de levar meu amor em forma de doces e adoçar o dia dos meus clientes. Com isso comecei a trabalhar com o delivery e divulguei mais os meus produtos nas redes sociais”, afirmou.

Jessyca também mudou alguns hábitos na produção dos seus produtos para garantir a sua própria segurança, e de seus clientes. “Redobrei meus cuidados com a higienização dos materiais e utensílios usados na fabricação, já trabalhava com touca e luva e acrescentei o uso da máscara. Na entrega, disponibilizo álcool em gel para o cliente higienizar as mãos antes de ter contato com o produto. Além disso, incentivo os clientes a efetuarem o pagamento com outras formas, como PicPay, para evitar contato com dinheiro” explicou. Os produtos podem ser encontrados no Instagram @jessycakesconfeitaria.

Atento às necessidades específicas desses empreendedores, o Sebrae preparou um conjunto de sugestões que podem ser adotadas para reduzir as perdas com a pandemia do Coronavírus.

Cuidados Financeiros

O momento pede que empreendedores revejam seus gastos e cuidem do controle do fluxo de caixa. Repense expectativas de vendas, evitando compras desnecessárias, inclusive para o período da Páscoa. Se trabalha com encomenda, peça mais prazo de produção para seu cliente. Se tem contas em aberto com fornecedores, renegocie prazos de pagamentos. Se necessário, reduza sua oferta (mix) de produtos, trabalhando apenas com aqueles que garantem boa margem de lucro, priorizando liquidar o estoque acumulado e não fazer compras arriscadas. A hora é de apertar os cintos.

Cuidados com a produção

Todo estabelecimento de alimentação deve cumprir as Boas Práticas de Fabricação (BPF) e manipulação de alimentos. No cenário atual, as BPFs devem ser revistas e implementadas, conforme estabelece a RDC ANVISA nº 216/04, disponível em no link.

Um exemplo de cuidados é a redução de microrganismos presentes na pele em níveis seguros, durante a lavagem das mãos com sabonete antisséptico ou por uso de agente antisséptico (como o álcool 70%) após a lavagem e secagem das mãos. Luvas e máscaras também podem ser aliadas, mas devem ser substituídas com frequência. O Sebrae oferece o curso “Boas Práticas nos Serviços de Alimentação”, totalmente gratuito e online.

Cuidados com a saúde

Esteja atento à sua saúde e das pessoas ao seu redor, seja sua família, fornecedores ou clientes. Respeite as distâncias e oriente a todos sobre as cautelas necessárias. Muitas confeitarias são formadas por empreendedores que trabalham sozinhos, ou que contam com poucos auxiliares. É fundamental que você ou seu colaborador se afaste totalmente da produção caso haja suspeita da doença ou de contato com doentes, ainda que a princípio pareça um leve resfriado. Monitore a temperatura corporal e esteja atento a tosses e falta de ar.

Repensando o Modelo de Negócios

É importante repensar o modelo de negócio nesse momento. Se a empresa trabalha com um ponto fixo, a alternativa para driblar o fechamento dos estabelecimentos é investir imediatamente nas mídias sociais, nas plataformas de comércio eletrônico e nos aplicativos de entrega. Comunique ao cliente (o que muitas vezes acontece por aplicativos de comunicação e redes sociais) que seu negócio está adotando todas as medidas cabíveis que prezam pela segurança e qualidade do seu produto. Atente-se para que todos os seus fornecedores e prestadores de serviço (como entregadores) também tenham todo o cuidado necessário com o coronavírus.

Oportunidades para confeitarias

Para a confeitaria, o momento é mais propício para produtos que sejam protegidos (embalados individualmente). Alimentos a serem compartilhados (como bolos de corte) são um possível foco de contaminação no momento de o cliente compartilhá-los com seus amigos e familiares. Além disso, o adiamento de diversos eventos e confraternização limitarão essas demandas. A confeitaria apresenta muitos produtos de tamanhos menores, e apostar nessas opções, embalando-as individualmente, é uma oportunidade. Nessa linha de produtos, entram os brownies, cupcakes, pão de mel, docinhos, bolo no pote, dentre outros.

Além dessas dicas, o Sebrae/ES criou a campanha “Por Onde Começar”, onde os empresários podem encontrar diversas outras informações para enfrentar os impactos do novo coronavírus nos negócios. Na plataforma é possível encontrar vídeos, e-books, cursos e soluções, gratuitamente. Além de encontrar estabelecimentos que continuam trabalhando e realizando entregas de seus produtos e serviços neste período. O interessado deve acessar www.sebrae-porondecomecar.com.br.

 

INFORMAÇÕES PARA A IMPRENSA
Assessoria de Comunicação Sebrae/ES
Sayonara Lacerda / Marcella Andrade / Gabriela Jucá
Tel: (27) 3041-5613 / 3041-5531
E-mail: sayonara.lacerda@es.sebrae.com.br 
marcella.sucupira@es.sebrae.com.br 

INFORMAÇÕES PARA EMPREENDEDORES
Central de Relacionamento Sebrae - 0800 570 0800
Os textos veiculados pela Agência Sebrae de Notícias – ES são produzidos pela Assessoria do Sebrae/ES e podem ser reproduzidos gratuitamente, apenas para fins jornalísticos, mediante a citação da Agência.