Apoio

Movimento #SalveOsRestaurantes incentiva consumidores a comprar dos pequenos negócios

Iniciativa capixaba já conseguiu unir 30 estabelecimentos em rede de ajuda mútua

Diante do cenário de crise promovido pela pandemia do coronavírus, bares e restaurantes enfrentam novos desafios. Sem a clientela ocupando as mesas do salão, é preciso ressignificar as operações do segmento. O serviço de entrega é a primeira ação imediata para aqueles que querem continuar a funcionar. Junto a isso vieram mais opções no cardápio, promoções e parcerias. No Espírito Santo, o movimento #SalveOsRestaurantes, capitaneado por Rafaella Cisne, já reúne cerca de 30 estabelecimentos numa rede de ajuda mútua.

Para encarar esse momento difícil para o setor de alimentação, o analista da Unidade de Competitividade do Sebrae/ES, Ubirajara Nascimento, sugere que o estabelecimento esteja nas plataformas eletrônicas. “Quem ainda não está, precisa se movimentar e ingressar nas redes sociais. Os aplicativos ajudam na divulgação e comercialização dos produtos. A visibilidade dá possibilidade de vendas e facilita a questão de pagamento por parte do cliente. É claro que o custo tem que estar embutido no seu valor final de venda ao consumidor, porque as plataformas cobram taxas, não podemos esquecer disso”, alerta.

Nascimento acredita ainda que trabalhar com combos de produtos pode ser uma estratégia complementar para atrair clientes. “Crie opções que incluam sobremesa, prato e bebida, por exemplo. Dentro do processo de comercialização, em vez do prato pronto pode-se pensar também em entregar os produtos fracionados e pré-prontos para que o consumidor finalize em casa, além da possibilidade de porções kids de algum prato. Outra iniciativa a ser analisada é a entrega domiciliar ou de acordo com a possibilidade a retirada do pedido no estilo drive-thru”.

Débora Aquino, uma das proprietárias do Bar da Zilda, no centro de Vitória, estava acostumada a ver o lugar cheio de gente nos finais de semana regados a samba, hoje está funcionando somente por entrega. De portas fechadas, o bar está trabalhando não só com o que oferece ao público normalmente, mas também, com novas opções para os clientes. “Estamos oferecendo pratos para almoçar e para petiscar e a disponibilidade depende da hora do dia. São pratos como lasanha e yakissoba, que normalmente não temos no cardápio. Para continuar vendendo as bebidas, estamos fazendo promoções”, explica.

O bar Di Dom Dom, localizado na Praia do Canto, conta com um ambiente que costumava estar sempre cheio. O local costumava reunir a clientela que gosta de assistir a jogos de futebol. Sem clientes e sem jogos acontecendo, o bar precisou traçar novas estratégias. “Tivemos que aprender tudo muito rápido. Não fazíamos o serviço de delivery antes, então tivemos que entender a operação da noite para o dia. Os petiscos e as bebidas, que são o carro-chefe do bar, continuam no serviço de entrega”, conta a assistente financeira do Di Dom Dom, Daniele Bone.

#SalveOsRestaurantes

Mais do que entregar comida na porta de casa, os empresários do setor têm destacado a importância da mobilização da comunidade local para que seus negócios possam continuar funcionando. Rafaella Cisne, sócia-proprietária do Santa Salada, e ressalta a importância da conscientização da população para que os negócios continuem funcionando.

Rafaella Cisne é responsável por articular o movimento #SalveOsRestaurantes

“Dentro do meu negócio, me coloquei na posição de líder, e líder não costuma abandonar o navio. Em tempos de grandes adversidades como a que estamos vivendo agora, precisamos ter a consciência de proteger nossa equipe, nossos clientes e toda a cadeia que envolve o setor da alimentação. Mais do que nunca, é preciso ter o entendimento que somos codependentes uns dos outros, logo, precisamos pensar em ações eficazes em prol de todos”, explica.

Rafaella é responsável por articular o movimento #SalveOsRestaurantes, um manifesto em redes sociais que dá suporte ao setor convocando a comunidade a ajudar. “Tive inspiração no movimento que começou nos Estados Unidos, em que as projeções apontavam queda de 80% das vendas. Somos um negócio pequeno que faz parte de um segmento vital, que é a alimentação. A lucratividade normalmente já é baixa e com um problema dessa magnitude não conseguiríamos sobreviver. Consegui um engajamento de 30 estabelecimentos que apoiam o movimento e estamos divulgando por meio de Whatsapp e Instagram. Nem todo mundo pode comprar da gente, mas se puder, compre. Se não comprar, divulgue”, apela.

Estabelecimentos do centro de Vitória, palco da boêmia capixaba, também têm se articulado. Saulo Santos da Silva, proprietário da Casa de Bamba, reforça a importância da união entre empresários e colaboradores do setor em tempos atípicos como esse. “A divulgação de nossos serviços é essencial. Estamos trabalhando com serviços de entregas, tanto de dia, quanto à noite. Nós, do Centro, nos juntamos e estamos nos divulgando, como o Bimbo Bar, Trapiche Café e locais de lanches em geral. Costumamos trabalhar com música ao vivo e agora estamos divulgando lives dos artistas que habitualmente tocam aqui na casa”, conta.

Ações

O Espírito Santo tem hoje um total de 392.305 empresas ativas, sendo 252.217 Microempreendedores Individuais (MEI) e 140.088 Micro e Pequenos Empreendedores (ME/EPP). Um levantamento do Sebrae mostra que cerca de 150 mil pessoas ainda trabalham por contra própria, mas na informalidade, como vendedores ambulantes, no comércio varejista com ponto fixo, ou oferecendo serviços de porta a porta. Empregos formais somam 405.642 ME/EPP e mais 50 mil. Ao todo 857.859 pessoas são ocupadas nos Pequenos Negócios.

Nesse momento de crise para o setor, o Sebrae está empenhado em continuar ajudando os pequenos negócios para minimizar os efeitos da situação causada pelo novo coronavírus. Foi intensificada a abordagem de atendimento remoto e criada a plataforma de apoio do portal “Por Onde Começar” (http://sebrae-porondecomecar.com.br). A plataforma tem como objetivo apoiar empresários de micro e pequenas empresas e toda a sociedade a enfrentar este momento com união e soluções: conteúdo, cursos e soluções gratuitamente.

Ao acessar o portal, o empreendedor tem a sua disposição alguns canais de interação: Fale com o Sebrae, que funciona das 8h às 18h; Consultorias on-line com cerca de 50 consultores especializados nas temáticas de gestão financeira, marketing e venda digital, das 8h às 18h; e a Central de atendimento via 0800 570 0800, que funciona das 9h às 17h, tirando dúvidas e orientando quanto aos produtos de Ensino a Distância (EAD) e outros serviços digitais. Na plataforma o empreendedor também encontra cursos gratuitos de EAD e vídeos com dicas práticas para enfrentar as situações de crise.

 

INFORMAÇÕES PARA A IMPRENSA
Assessoria de Comunicação Sebrae/ES
Sayonara Lacerda / Marcella Andrade / Gabriela Jucá
Tel: (27) 3041-5613 / 3041-5531
E-mail: sayonara.lacerda@es.sebrae.com.br 
marcella.sucupira@es.sebrae.com.br 

INFORMAÇÕES PARA EMPREENDEDORES
Central de Relacionamento Sebrae - 0800 570 0800
Os textos veiculados pela Agência Sebrae de Notícias – ES são produzidos pela Assessoria do Sebrae/ES e podem ser reproduzidos gratuitamente, apenas para fins jornalísticos, mediante a citação da Agência.