Beleza

Cinco dicas para salões de beleza enfrentarem a crise do coronavírus

Com o estabelecimento fechado, empresários precisam reduzir as perdas desse período

Uma das atividades econômicas mais frequentes entre os Microempreendedores Individuais (MEI) do Espírito Santo, os salões de beleza estão buscando formas para driblar os impactos da pandemia do coronavírus em seus negócios. De acordo com estatísticas de janeiro deste ano do Portal do Empreendedor, os cabeleireiros correspondem ao segundo segmento mais comum entre os MEI, com 18.665 empreendedores (8,2%) do total, perdendo apenas para o comércio varejista de artigos do vestuário e acessórios, exercidos por 20.465 empreendedores (8,9% do total).

Com mais de um milhão de profissionais formalizados em todo o país, o segmento de salões de beleza, dentro do universo dos pequenos negócios, é uma das áreas mais sensíveis à crise provocada pela pandemia do novo coronavírus. Em diversos estados a orientação dos governos é para que comércios fechem, por pelo menos 15 dias. Preocupado com os efeitos da falta de clientes para o setor, o Sebrae elaborou dicas para que os empreendedores possam reduzir as perdas desse período.

A gerente da unidade de produtos e credenciados do Sebrae/ES, Marceliy Frassi Bridi, sugere explorar as redes sociais para continuar mantendo contato com os clientes. “Analise seu estoque, faça promoções de produtos pelas redes sociais, pense em combos para vender no pós retorno, mande essas propagandas para os clientes. Fique em dia com as redes sociais, atualize, coloque dicas interessantes para o seu público, mostre como cuidar do cabelo, das unhas, fazer hidratações. Ensine processos estéticos que podemos fazer em casa. Mantenha esses clientes por perto mesmo que a distância”. Marceliy salienta que este é o momento para organizar a gestão dos negócios, negociar com fornecedores e repactuar prazos.

Inovar é preciso

Profissionais dessa área tão popular no Estado têm, no entanto, aplicado soluções criativas para manter seus negócios vivos por meio do relacionamento com os clientes. Bruna Monteiro (23), proprietária do Bruna Monteiro MakeUp Studio, conta que tem tirado o tempo em casa para movimentar as redes sociais e manter as clientes atentas ao seu trabalho. “Tenho produzido muito conteúdo principalmente sobre maquiagem. Está sendo um tempo proveitoso para realizar cursos online, acabo mostrando às minhas clientes que estou estudando para proporcionar um serviço ainda melhor. Tenho ficado muito satisfeita com o alcance que estou atingindo no meio online”, revela.

Uma das proprietárias do Salão Rosária Breciani, Francine Breciani (35), conta que está usando a tecnologia para manter o contato com a clientela. “Usamos um aplicativo de agenda e por meio dele notificamos todas as nossas clientes sobre o fechamento do salão durante a quarentena. Incentivamos, por meio do Whatsapp, que elas remarquem seus atendimentos para quando tudo voltar ao normal”, diz. Francine percebeu que podia se comunicar melhor e de forma mais rápida com as clientes por meio de mensagens.

Crise

O Espírito Santo tem hoje um total de 392.305 empresas ativas, sendo 252.217 Microempreendedores Individuais (MEI) e 140.088 Micro e Pequenos Empreendedores (ME/EPP). Um levantamento do Sebrae mostra que cerca de 150 mil pessoas ainda trabalham por contra própria, mas na informalidade, como vendedores ambulantes, no comércio varejista com ponto fixo, ou oferecendo serviços de porta a porta. Empregos formais somam 405.642 ME/EPP e mais 50 mil. Ao todo 857.859 pessoas são ocupadas nos Pequenos Negócios.

Nesse momento de crise para o setor, o Sebrae está empenhado em continuar ajudando os pequenos negócios para minimizar os efeitos da situação causada pelo novo coronavírus. Foi intensificada a abordagem de atendimento remoto e criada a plataforma de apoio do portal “Por Onde Começar” (http://sebrae-porondecomecar.com.br). A plataforma tem como objetivo apoiar empresários de micro e pequenas empresas e toda a sociedade a enfrentar este momento com união e soluções: conteúdo, cursos e soluções gratuitamente.

Ao acessar o portal, o empreendedor tem a sua disposição alguns canais de interação: Fale com o Sebrae, que funciona das 8h às 18h; Consultorias on-line com cerca de 50 consultores especializados nas temáticas de gestão financeira, marketing e venda digital, das 8h às 18h; e a Central de atendimento via 0800 570 0800, que funciona das 9h às 17h, tirando dúvidas e orientando quanto aos produtos de Ensino a Distância (EAD) e outros serviços digitais. Na plataforma o empreendedor também encontra cursos gratuitos de EAD e vídeos com dicas práticas para enfrentar as situações de crise.

O Sebrae/ES está fazendo um mapeamento dos impactos nos diversos setores da economia nesta crise. A instituição vem atuando junto ao Governo do Estado, a Agência de Desenvolvimento das Micro e Pequenas Empresas e do Empreendedorismo (Aderes), Federação das Indústrias do Espírito Santo (Findes), Sebrae Nacional, instituições financeiras, dentre outros, unindo forças para buscar alternativas que contribuam para a manutenção dos pequenos negócios.

Confira 5 dicas baseadas em estudos do Sebrae na área de beleza:

1º Revise os custos fixos do salão de beleza: diante da suspensão do atendimento ao cliente, é hora de colocar no papel todos os gastos mensais, tais como telefone, internet, tv a cabo, manutenção de equipamentos. Se for dispensável, é hora de cortar ou suspender assinatura.

2º Faça uma reorganização administrativa: é um momento oportuno para colocar a casa em ordem do ponto de vista da gestão. Faça um levantamento minucioso de estoque, reveja o planejamento de compras. Ordene pelo prazo de validade, os produtos que devem ser usados primeiro, assim que o negócio voltar a funcionar. Repense todos os gastos, caso precise de um empréstimo para se manter em funcionamento, busque auxílio de agentes bancários especializados.

3º Organize seu conjunto de clientes: aproveite o tempo livre para conhecer melhor o perfil de quem procura o seu salão. Conte com ajuda de seus colaboradores, façam uma videoconferência e estabeleçam as principais características dos clientes: onde moram, quais serviços são mais procurados, preferências por produtos... Essas informações serão peças-chave para os próximos passos. Construam juntos uma lista de clientes fiéis.

4º Mantenha o contato com os clientes aquecido. Se o seu salão ainda não possui redes sociais esse é o momento de criar seus perfis. Mantenha esses canais de contato sempre atualizados, publique informações sobre cuidados com a beleza, de acordo com os serviços que seu salão oferece. Use o Whatsapp para enviar dicas para as clientes, além de disponibilizar produtos de beleza para venda online. Por mais que essas vendas não sejam significativas para o faturamento, elas mantêm o vínculo com o cliente.

5º Reinvente: use o tempo que ficar sem receber clientes na loja física para repaginar o local. Não estamos falando de grandes reformas, mas uma boa faxina no espaço, pintar uma parede, mudar a disposição do mobiliário, comprar um item de decoração charmoso e usar plantas, por exemplo, são pequenas ações que fazem a diferença quando o negócio reabrir.

 

INFORMAÇÕES PARA A IMPRENSA
Assessoria de Comunicação Sebrae/ES
Sayonara Lacerda / Marcella Andrade / Gabriela Jucá
Tel: (27) 3041-5613 / 3041-5531
E-mail: sayonara.lacerda@es.sebrae.com.br 
marcella.sucupira@es.sebrae.com.br 

INFORMAÇÕES PARA EMPREENDEDORES
Central de Relacionamento Sebrae - 0800 570 0800
Os textos veiculados pela Agência Sebrae de Notícias – ES são produzidos pela Assessoria do Sebrae/ES e podem ser reproduzidos gratuitamente, apenas para fins jornalísticos, mediante a citação da Agência.